sábado, 9 de junho de 2012

100 ÁLBUNS ASSUSTADORES #55





Há algo de divertido e eclético no Opus Ensemble, um conjunto de câmara que, à data de edição de 94 (1993), era composto por Ana Bela Chaves (viola), Olga Prats (piano), Bruno Pizzamiglio (oboé) e Alejandro Erlich-Oliva (contrabaixo). Pedro Ribeiro substituiu Pizzamiglio, após o falecimento deste em 1997. 94 abre com a peça Três Andamentos à Procura de um Quarteto, de António Victorino de Almeida. Seguem-se composições de Erik Satie, Maurice Ohana, Beethoven e Mozart (o pai). Os temas de Victorino de Almeida e Maurice Ohana foram especialmente escritos para o quarteto português. Em qualquer um dos momentos, assistimos a uma rigorosa recriação musical. O lado divertido está na assimilação da música enquanto alimento do fôlego, o que torna tudo mais genuíno. Distanciamo-nos, assim, da pretensão de um processo criativo exclusivamente centrado no intelecto, assistindo a uma difusão do corpouvinte pelas partículas de som que povoam a atmosfera. É pura experiência musical. Em andamentos diversos, paisagens enriquecedoras e contagiantes, instantes onde a poesia equivale à arte da dança. O tema de António Victorino de Almeida, tal como a peça de Ohana, são especialmente reveladores desta capacidade de colocar o ar a movimentar-se dentro de nós, a partir de um estímulo auditivo que, de um modo quase imediato e inexplicável, produz no cérebro paisagens distintas logo distribuídas por todo o sistema nervoso central. E o corpo baila de um modo espontâneo, sem necessitar de o expor na algazarra dos músculos.

2 comentários:

mp disse...

albuns assustadores dão antologias iluminadoras!

hmbf disse...

:-)