sexta-feira, 9 de novembro de 2012

100 ÁLBUNS ASSUSTADORES #72

Oriundos do País de Gales, os Gorky’s Zygotic Mynci colocaram um fim à sua actividade em 2006. Bwyd Time (1995) foi o segundo álbum, uma promissora colecção de canções inspiradas no psicadelismo da década de 1960 com uma componente irónica assaz afinada. Neste álbum em particular, essa inclinação para a excentricidade nota-se logo na abertura minimalista, em toada disco, a dar lugar a uma balada no mais meloso registo beatle. Pelo meio, ritmos diversos, melodias várias e assonâncias de origem suspeita justapõem-se num carrossel de cítaras, batalhas campais, trompetas apocalípticas, pianolas, violinos dançantes e tambores, numa orgia mística ou num misticismo luxuriante sem igual. Esta tendência para desconstruir o óbvio reaparece em praticamente todos os temas do álbum, tornando-o sempre fresco e potencialmente novo. O imaginário celta que persegue alguns temas, assim como o visual da banda, ajuda ao Carnaval de sons aqui misturados. Bwyd Time soa-nos hoje tão pertinente como à época da sua edição, não tendo perdido um único motivo de interesse. Julgo ser esse o maior desafio que se coloca a uma banda pop, ou seja, superar a efemeridade do universo em que se movimenta. Os Gorky’s Zygotic Mynci soam a muita coisa facilmente identificável, mas conseguem, ao mesmo tempo, construir uma identidade que os diferencia das fontes. Têm em si a estranheza de um idioma, o galês, que nos envia para paisagens longínquas no tempo e no espaço. Talvez por isso pareçam sempre tão reconfortantes.

Sem comentários: