sexta-feira, 29 de março de 2013

100 ÁLBUNS ASSUSTADORES #84


Eis que chegamos ao universo incognoscível da música espanta espíritos. Os Spring Heel Jack seguiram desde muito cedo um percurso onde a manipulação electrónica encontra a improvisação do Jazz. Formados por John Coxon (Spiritualized) e Ashley Wales, concentraram-se maioritariamente nos territórios conotados com o drum’n’bass. Porém, o recurso a múltiplos instrumentistas permitiu-lhes alargar o campo de acção e conquistar ambientes sonoros onde o free jazz se foi impondo como a linguagem mais evidente. É o que acontece neste AMaSSED (2002), uma recolha de oito composições onde variadíssimos instrumentos disputam o seu lugar num espaço caótico e mais ou menos frenético. Algumas contribuições são absolutamente decisivas para o resultado final. Os sopros de Evan Parker, Paul Rutherford e Kenny Wheeler ganham maior relevo, assim como o fender rhodes de Matthew Shipp. Outra contribuição importante é a de J Spaceman, colega de Coxon nos Spiritualized, com uma guitarra eléctrica capaz de transpor muros de betão e fazer-se ecoar entre as ruínas de uma melodia que, na realidade, nunca chegou a existir. Os Spring Heel Jack são um laboratório de experimentação sonora onde músicos associados a áreas diversas, da pop ao jazz, levam a cabo a agradável missão de se libertarem e romperem fronteiras, permitindo que o seu talento se desenvolva e propague sem preocupações que não sejam exclusivamente actuantes. Por vezes, fazem-nos andar às escuras num edifício largo, talvez uma fábrica abandonada, oferecendo-nos como pontos de referência os ruídos produzidos pela nossa passagem. Como apreciamos andar às apalpadelas, deixamo-nos guiar.

1 comentário:

MCS disse...

Bem lembrado, grande disco. Vou ali à estante tirar pó e voltar a ouvi-lo.