segunda-feira, 27 de maio de 2013

100 ÁLBUNS ASSUSTADORES #86


And some people say that it is just rock'n'roll
Oh but it gets right down to your soul

Mantenho há semanas o mais recente álbum de Nick Cave & The Bad Seeds no leitor de CDs. Não tenho ouvido mais nada e não me apetece mudar. Vou ter que fazer uma pausa, mas torna-se difícil resistir ao ambiente hipnótico das nove canções de Push The Sky Away. Construídas quase invariavelmente sobre um loop que orienta os restantes instrumentos, estas canções abordam o que sempre reconhecemos nas letras de Nick Cave. Mas fazem-no de um modo diferente, porventura mais maturado do que noutros álbuns ou talvez com um encantamento diferente. O romantismo dos registos anteriores, ora melancólico e desencantado, ora irónico e enraivecido, dá lugar a um ritual onde a palavra se deixa embalar por sons repetitivos, cativantes, mas ao mesmo tempo sedutores pela luminosidade que projectam sobre as sombras habituais. A capa é perfeita, sobre ela já se disse tudo. Mas quando ouvimos o álbum não estamos à espera de uma materialização sonora do que a fotografia de capa aponta. Os silêncios, preenchidos por um conjunto variável de elementos, vão sendo arrastados por linhas de baixo e piano que fazem sobressair as formas da canção. Escute-se com atenção o baixo de Barry Adamson em Finishing Jubille Street e perceber-se-á que este é um disco especial, sem lugar para excessos desmedidos, contido na expressão das emoções, mas perfeito no modo como arquitecta um ambiente coerente, um palco firme, para a manifestação de um estado de alma. E sim, Higgs Boson Blues é, sem dúvida e até ver, o melhor blues escrito no séc. XXI.

Sem comentários: