quarta-feira, 26 de junho de 2013

IMAGEM SÓLIDA


As Filhas de Edward Darley Boit (1882)
John Singer Sargent (1856 – 1925)
 
 

Talvez o espaço entre dois seres não seja infinito, como somos levados a crer perante a aporia de Zenão. Aquiles não alcança a tartaruga porque se movimenta na direcção oposta à que faria a tartaruga interessar-se por ele. Este problema é recorrente. A distância que separa as pessoas não se mede pelo espaço que existe entre elas, mas sim pela vontade que as torna próximas ou as afasta conforme estejam ou não interessadas uma na outra. Por isso dizemos muitas vezes que nos sentimos sós quando estamos rodeados de pessoas e, ao contrário, sentimo-nos acompanhados quando estamos em solidão. Quem nos acompanha nesses momentos revela-se no silêncio sob a forma de uma imagem muito nítida que nos ocupa o pensamento. Pode doer-nos de a não tocarmos, mas tal imagem tem uma força que muitos corpos sólidos jamais conseguirão.
 
 

3 comentários:

mp disse...

na muche!

Cavalo de pau disse...

Qual é a medida da vontade?
Quando estamos sós ou acompanhados o que poderá ter medida, talvez seja o que sentimos. Segundo me parece a vontade só conhece os limites isto porque, as medidas são deixadas paras as emoções.


Abraços

alexandra g. disse...

Ai, Henrique, o que cada um de nós quer é ser igual a si mesmo, única garantia do "eu sou igual a ti e vice versa", mas as circunstâncias que vão dar uma volta, infelizmente para longe de qualquer um de nós e mais além.