quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

100 ÁLBUNS ASSUSTADORES #100




Estou a ouvir Billie Holiday no Monterey Jazz Festival de 1958 (apenas 1 de 10 CDs que esta caixa contém). A ausência de guitarras é compensada pelo piano de Mal Waldron (tão esquecido, tão bom – procurem Left Alone e contenham os arrepios) e por um trio de sopros invejável: Gerry Mulligan (barítono), Benny Carter (alto), Buddy de Franco (clarinete). Na secção rítmica, Eddie Khan (baixo) e Dick Berk (bateria). Que pena não haver ali uma guitarra. A voz de Billie Holiday cai bem com uma guitarra. E tantos foram os excelentes guitarristas que a acompanharam (Freddie Green, Barney Kessel, por exemplo). Mas a voz de Lady Day soa sempre bem, mesmo quando desaparece por debaixo dos motores de um avião que passa. Acontece a meio de Good Morning Heartache. Ficou gravado, é um privilégio poder ouvi-lo como se estivéssemos lá. A caminho dos quarenta, nenhuma música me conforta mais do que a voz de Billie Holiday e a trompete de Chet Baker. Infinda melancolia, porém reconfortante, apaziguadora. Talvez seja isto o swing, a capacidade de fazer dançar a tristeza. Esta série, desde a primeira hora dedicada ao amigo manuel a. domingos, termina aqui. Anárquica, despretensiosa, acidental, deixou de fora muita coisa que podia ter entrado, meteu dentro algumas repetições voluntárias, baralhou-se com imprevistos, deixando atrás de si um largo conjunto de referências: Andrew Bird, Angélique Ionatos, Art Ensemble of Chicago, Baby Bird, Bernardo Sassetti, Biosphere, Brian Eno, Broadcast, Can, Chicago Underground Duo, Chuck E. Weiss, Codeine, Dead Can Dance, Dead Combo, Diamanda Galás, Duke Ellington, Einstürzende Neubauten, Elvis Costello, Eno/Cale, Eric Mingus, Fausto Bordalo Dias, Flat Earth Society, Fug, Godspeed You Black Emperor!, Gorky’s Zygotic Mynci, Hashisheen, Hector Zazou, Hedningarna, Iggy Pop, Isotope 217º, Ithaka, John Cage, John Cale/Bob Neuwirth, Johnny Cash, Julian Cope, King Kooba, Kiss My Jazz, Kraftwerk, Laurie Anderson, Lou Reed, Lucretia Divina, Mau Sangue, Meira Asher, Miles Davis, Miranda Sex Garden, Mogwai, Naked City, Nearly God, Nick Cave & The Bad Seeds, Nick Drake, Nine Inch Nails, Of Monsters And Men, Opus Ensemble, Original Dixieland Jazz Band, Ornette Coleman, Pandit Ravi Shankar, Penguin Café Orchestra, Peter Hammill, Pink Floyd, Pooka, Radiohead, Rizwan-Muazzam Qawwali, Robert Wyatt, Romano (Aldo), Sclavis (Louis), Texier (Henri), Ryuichi Sakamoto, Scott Walker, Sigur Rós, Silent Poets, Smog, Spiritual Vibes, Spring Heel Jack, Squirrel Nut Zippers!, Stina Nordenstam, The Cinematic Orchestra, The Flaming Lips, The Golden Palominos, The Jesus and Mary Chain, The Velvet Underground, Tom Waits, Tortoise and Bonnie ‘Prince’ Billy, Towering Inferno, TOY, Trans Am, Up, Bustle and Out, Ursula Rucker, Us3, Ute Lemper, Van Morrison, Värttinä, Wim Mertens, Wordsong, Yo La Tengo... Outras viagens já espreitam, porventura no avião que obnubilou a voz da diva. Caso para dizer, levem-me tudo… menos as ilhas desertas.

Sem comentários: