domingo, 18 de maio de 2014

#23


Mero acaso levou-me ao encontro dos WhoMadeWho numa tenda do Festival Sudoeste. Agradou-me tanto a prestação que prometi procurar o álbum de estreia no regresso. Procurei, mas não encontrei. Para compensar, estava disponível este Green Versions (2006) que, como o título indica, reúne versões do álbum homónimo do trio dinamarquês. Os WhoMadeWho foram originalmente associados à cena post-punk, sendo clara, desde o início, a colagem electro que tingia temas mais elaborados do que seria imaginável em bandas de inspiração punk. Tal elaboração tornou-se patente nas versões desnudadas e melancólicas de Green Versions, redundando o registo num conjunto extraordinário de canções sedimentadas no legado norte-americano e numa folk-pop europeia que alimentou projectos com imaginários bastante diversos. A versão de Rose, por exemplo, envia-nos para certos ambientes góticos, ao passo que Out the Door ganha nesta versão uma tonalidade bluesy irresistível. Mas o que mais perturba é a percepção de como uma maquilhagem exagerada pode afectar a estrutura de uma canção. Estas versões não se limitam a limpar o rosto dos originais, de certo modo reconfiguram esse mesmo rosto com uma luminosidade mais autêntica e imediata. Ao contrário de simplificarem, complexificam. Porque afastaram o que tornava as canções vulgares. Não encontrei vídeos que fizessem justiça a autenticidade de Shake your boat, mas gostei muito desta versão live de Space for rent:


Sem comentários: