terça-feira, 22 de julho de 2014

TENS RAZÃO

Para o CV


Tens razão, na capa não devia vir senão a capa, um rosto liso e simples, a imagem perfilada do tema, uma ilustração, e nenhuma obra deveria ter autor, os autores condicionam a leitura, talvez um título rasurado se justificasse, sinal que nos permitisse distinguir esta daquela obra, mas que nos aliviasse de considerar autores e de manifestar simpatia por este ou por aquele quando, por vezes, lhes lemos pouco mais do que duas frases mal escritas, o rosto dos livros devia ser como o dos frutos, casca sedutora sob a qual se esconde o gosto, por vezes adúltera, outras tantas enganosa, raramente surpreendente, mas permeável ao bicho da marca que tudo perverte, sentido e sentimento, emoção e raciocínio, crítica e serviço publicitário, a capa devia conter tão-somente o apelo de uma cor sob a qual o frontispício anuncia a palavra-chave, enigma decifrável com a leitura ou nem por isso decifrável, apenas inteligível, ou nem por isso inteligível, só compreensível naquela forma em que se compreendem bafos, respirações, batidas cardíacas, porque neste campo das palavras nada é que não seja para nós o que já somos, isto é, tudo ganha a forma quando renasce pela leitura e ganha a forma de quem lê mais do que a forma de quem escreveu porque a forma de quem escreveu é um líquido espalhando-se pela terra, sim, tens razão, nada na capa senão a capa, gravura de um olhar, de uma certa forma de se estar neste mundo onde a cor mais do que alegrar os dias transforma as horas num pesadelo borrado de segundas intenções, ai este comércio, esta fruta, a ditadura da imagem sobreponde-se à educação do gosto, o culto da estupidez, do supérfluo, da banalidade ganhando a cada segundo terreno e força e ruído, enquanto o escrevinhador maledicente se entrincheira no escritório a estudar a pose mais eficaz para que um dia lhe chamem maldito, malvado, terrível. Palerma. P.S.: diz à Sandra que a dedicatória é só para irritar.

4 comentários:

margarete disse...

hehehe

p.s. ná, não irrita; é mais nos livros em que é poema-sim e poema-também com dedicatória, assim tipo as capas ;)

hmbf disse...

Pois, compreendi-te. :-)))

Saúde,

Jorge Melícias disse...

Muitos canos tem a caçadeira aí de casa. Às vezes faz-me lembrar este, com as suas pequeninas jihads: http://omelhoramigo.blogspot.pt/search/label/perspectivas

hmbf disse...

Foda-se, que puta de lembrança. Desse só quero distância, assim Deus me ajude.