quarta-feira, 26 de novembro de 2014

#51


Um dos momentos interessantes do rock português na década de 1990 ocorreu a Oeste. Os Tina and The Top Ten, de João Paulo Feliciano, foram a banda porventura mais emblemática desse “movimento” fundado algures entre Lisboa e Caldas da Rainha. Os Red Beans, os Orange, mais tarde concentrados no projecto individual Gomo, e os Loopooloo foram outros intervenientes a ter em conta. Já na ressaca dessas digressões alternativas, que, na realidade, deviam parte da sua criatividade a uma leitura pessoal e consistente do que chegava cá através de bandas internacionalmente conhecidas tais como Sonic Youth ou Stereolab, os UBU editaram este Mostly Words Sometimes Numbers (gravado entre Junho de 2000 e Dezembro de 2001). Podia ser um álbum de rock trivial, não fosse o facto de nos oferecer uma síntese peculiar desses tempos em que ao espírito “do it yourself” se colava uma vontade de experimentar sonoridades com guitarras distorcidas ao serviço de uma (sub)urbanidade empenhada na diferença. Instrumentais (ou quase) como W.T.C., Lost in a Garage e Mixed Rain encostam-se às paredes dos edifícios devolutos do post-rock, deixando-nos na esperança de que a qualquer momento tudo desmorone. Mas não. Quando a voz adquire forma, convence-nos pela afeição e volta a fazer-nos sentir impúberes, voluntariosos, obstinados. A faixa escondida é genial, porventura das coisas mais bonitas que alguma vez se gravaram por estas bandas.

Sem comentários: