quinta-feira, 6 de novembro de 2014

PÂNTANO

Perante a descoberta de um pântano invulgar que engolia as pessoas num ápice, chamámos o Dr. Boaventura. Curioso como sempre foi, quis testar a raridade do pântano. Descalçou-se, arregaçou as calças, molhou o pé, mas logo desapareceu engolido pelo pântano. Ficámos aflitos, gritámos, pedimos ajuda. Um grupo de pessoas numa esplanada ali perto olhou-nos com indiferença. Eu meti os braços no pântano, mas não fui engolido. Tentei encontrar o Dr. Boaventura arrastando os braços de um lado para o outro. Bati em pedras, raízes, superfícies de estranho tacto. Consegui dar com os braços do Dr. Boaventura e puxei-o para fora, mas dele já só veio metade. Perdeu-se a metade da cintura para baixo. Estávamos todos incrédulos, o grupo da esplanada permanecia indiferente.

2 comentários:

Rui Almeida disse...

Foi aí nas Caldas?

hmbf disse...

hoje mesmo

na mata do parque