quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

#55


Tenho andado entretido com este Moonlight (2015) de Hanni El Khatib. Não sei que pense, não sei que diga. Tratando-se de um álbum de rock, tal desorientação só pode ser abonatória. O nome do homem induz em erro, estamos no território do rock tipo The Black Keys. Portanto, já não apenas puro e duro. Neste caso, a pose reveste-se ainda mais de uma vontade de seduzir que a colocação das vozes e algumas melodias açucaradas comprovam. Mas a verdade é que alguns temas têm um groove irresistível, afastando-se da tirania do riff poderoso e adoptando uma maquilhagem onde a soul e o funk são mais evidentes do que a influência blues. São disto exemplo o tema de abertura, que ofereceu o título ao álbum, ou o último tema, onde um violino e um sintetizador decoram uma guitarra repetitiva e hipnótica em ritmo irresistivelmente dançável. Grande momento. O tema chama-se Two Brothers e merece ser escutado. Hanni el Khatib toca todos os instrumentos à excepção das percussões, havendo convidados de peso e de gerações diversas. Por exemplo, Greg Reeves, conhecido por acompanhar os Crosby, Stills, Nash & Young, empresta o baixo ao tema Chasin (outro dos momentos felizes desta recolha). Já Matt Sweeney toca guitarra em Moonlight. São apenas dois exemplos de colaborações que ajudam a tornar canções como a que se segue numa das boas surpresas do ano:


Sem comentários: