terça-feira, 5 de abril de 2016

#79


Já me referi anteriormente a Mark Eitzel a propósito dos American Music Club, conjunto onde desenvolveu, apurou e afirmou a sua arte para escrever canções. Em Caught In a Trap and I Can’t Back Out ‘Cause I Love You Too Much, Baby (1999), título que parece ser todo um programa, encontramo-lo a título pessoal, mas não necessariamente a solo, num registo muito mais desprotegido do que aquele que lhe conhecíamos anteriormente. Não foi o primeiro registo de Eitzel sem os A. M. C., mas é o melhor. Acompanhado a espaços por Steve Shelley (Sonic Youth…), James McNew (Yo La Tengo…) e Kid Congo Powers (The Bad Seeds, The Cramps, The Gun Club…), desfaz o tom descarnado forçado por canções suportadas numa simples guitarra folk com descargas momentâneas de uma energia que rompe com a melancolia sem dela conseguir esquivar-se. O tom é geralmente negro, perdido entre uma fé desassossegada e a ausência de esperança. Mas nem por isso Mark Eitzel resvala num sentimentalismo desprovido de reflexão, logrando uma expressividade emocional deveras convincente pela naturalidade com que se apresenta ao ouvinte. Gosto especialmente deste Queen of No One:


Sem comentários: