terça-feira, 30 de agosto de 2016

MARCAÇÕES


Antes de mais, o funcionário municipal a regar os canteiros, o reformado caminhando lentamente, duas mulheres em amena cavaqueira à sombra dos ciprestes, uma rapariga a passar de bicicleta, as gaivotas agitando marés celestiais. Antes de mais, o arrumador de carros, um par de sapatilhas esquecido no parque, o olhar perscrutador do agente da polícia, o transportador carregado de consumíveis, a mulher do café a passar um pano húmido pela mesa, os sons: motores, pássaros, crianças, o jovem que pela manhã já treina no skatepark, a directora da biblioteca a chegar ao seu local de trabalho, um amolador, dois indivíduos perdidos numa discussão de trocados, as testemunhas de Jeová. Antes de mais, um cão deitado na rotunda, um pombo pinicando restos de água num bebedoiro, o carro do circo a anunciar espectáculos nunca antes vistos, o museu encerrado para obras, um homem sentado num banco do jardim a ler o desportivo, os namorados deitados na relva. Antes de mais, nossos olhos marcados por tudo quanto vêem.