sábado, 5 de novembro de 2016

[A DOR É O QUE HÁ DE MAIS HUMANO]


Um poema para Fiama, coordenação de Maria Teresa Dias Furtado e Maria do Sameiro Barroso, Labirinto, Maio de 2007, p. 36. Clique na imagem para ver melhor. Em alternativa, poderá ler o poema aqui.

2 comentários:

maria disse...

gosto tanto deste poema. vou levar. :)

hmbf disse...

Obrigado. :-)