terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

ÊXTASE

A Santa Teresa de Bernini tem orgasmos com Deus. Eu tenho orgasmos com a Santa Teresa de Bernini.
*
Não me extasia a ideia, extasia-me a pedra.
*
Mas a generalidade não se extasia com nada. Gostam de peidos.
*
Passar o tempo todo a achar piada, a tentar ter piada, a ser engraçado, passar a vida a sacar sorrisos, o êxtase do riso frugal.
*
A inteligência diverte-me, o humorismo entedia-me. O êxtase da pedra é uma pedra.
*
Hoje em dia publica-se qualquer coisa, queixava-se Joyce no tempo dele. Meu, não viste nada. Nem tu nem Santa Teresa.
*
Hei-de ir a Ávila, nunca fui a Ávila, quero ir a Ávila. Dizem que por lá os êxtases são mais baratos.
*
O lúcido tem por objectivo escrever como um louco, o louco esforça-se por conseguir escrever com lucidez. Estão ambos equivocados. Só acredito no lúcido que escreva com lucidez e no louco que escreva com loucura.
*
O trabalho, o esforço, o dever, a obrigação são incompatíveis com a poesia. Esta não está na pedra esculpida, mas nos orgasmos do escultor ao esculpir a pedra. Está na paixão.
*
Chamar paixão ao sacrifício. Dar um tiro nos cornos.
*
A imprensa é o anticlímax do místico, a imprensa no seu mais lato sentido, a imprensa sem fronteiras, aquela que cada um faz no seu dia-a-dia com um computador em casa, com um telemóvel nas mãos. A imprensa informal e a imprensa formal são o anticlímax do místico.
*
A cena do místico é como a cena do yogi: o objectivo é sair o mais possível do mundo, libertar-se o mais possível do mundo. Neste sentido, toda a arte é uma mistificação. O objectivo é estar o mais morto possível.
*
A verdade não está na pedra, a verdade não está no êxtase, a verdade não é a experiência mística nem o anticlímax. A verdade é a morte a peidar-se e o finito a rir.
*
Uma cena violenta: ontem, enquanto saía para o trabalho, estava um homem sentado ao sol a ler a Bíblia. Aqui mesmo, no passeio do prédio. Olhei para o céu e vi três grandes pássaros. Não eram gaivotas, pareciam cegonhas. Mas tive quase a certeza de que eram anjos. Desvaneceu-se a certeza quando um deles largou uma cagadela em cima da Bíblia que o homem estava a ler. A tarde luminosa adquiriu outra cor. Deixou de ser mística, deixou de ser o anticlímax. Foi apenas verdadeira.
*
Em suma: o facto é irrelevante perante a força da intenção. Não interessa o que fazes, interessa o que te propões fazer. Mesmo que o não faças. Mesmo que te seja impossível. Porque como tantas outras coisas, a vida é apenas para inglês ver.
*

Agora esculpe isto, ó Bernini. 

2 comentários:

Claudia Sousa Dias disse...

Esta escatologia está tão boa que merece ser facebookada. Obrigada, Henrique.

hmbf disse...

:-)