quinta-feira, 25 de maio de 2017

ABRIR UMA CAIXA

Faço parte dessa espécie em vias de extinção que ainda compra discos. Quando digo aos amigos que nunca “saquei” uma canção da internet, que nem sei como isso se faz nem estou interessado em saber, olham-me com descrença. Nenhum preconceito moral me move contra a prática do download, seja ele legítimo ou ilegítimo. Simplesmente arcaico e conservador em determinadas matérias, anacrónico, porventura, ou simplesmente antiquado, gosto de abrir caixinhas com as mãos, retirar de lá discos e folhetos, gosto de ser apanhado de surpresa, do inesperado, de ler ponta a ponta intervenientes, colaboradores, produtores, dedicatórias. Poucos prazeres se comparam a esse de abrir uma caixa e contemplar o que vem dentro. 

6 comentários:

Ivo disse...

É uma tara, como qualquer outra. E não caminha para melhor, falo por mim...

hmbf disse...

Taras e manias, como cantava o outro.

Jorge Muchagato disse...

"Download" de música não faço porque não sei nem me interessa pois falta tudo o mais que referes. Eu "parei" no disco de vinil - nada que se lhe compare em termos gráficos e estéticos. Parece que o som do "compact disc" é melhor, não sei avaliar segundo os parâmetros técnicos necessários. Comprar discos nunca mais foi a mesma coisa depois do triunfo do "cd"... Nem tinha pilhéria nenhuma uma pessoa ter um disco "pirateado" para uma cassete, mas enfim, quem tinha que as ter tinha-as.

hmbf disse...

O meu carro ainda tem leitor de cassetes. Durante tempo entretive-me a fazer colectâneas com os discos cá de casa para ouvir no carro. Há dias, emprestei a um amigo uma caixa cheia dessas cassetes. :-)

Ivo disse...

Ahahahah ha uns dias um miúdo cá por casa perguntou.me o que eram umas certas caixas, empilhadas num móvel da sala. K7s disse eu. O quê? Cassetes de musica. Ahhh mas ouve-se onde?? Com uma cara de estranheza. Por exemplo no meu carro... É tão bom por uma k7 e esperar ouvir o que sai de lá (não me dava ao trabalho de as titular). Compilaçoes caseiras de.metal dos 90, que medo!!... =))

ZMB disse...

Actualmente só o faço a partir do youtube, mas para mim o download tem a mesma função que as k7 que a gente gravava com os discos que nos emprestavam.
Muitos desses discos, e devido à qualidade musical e também gerar memórias ou servir de ambiente a ocasiões no presente, acabei por os comprar em vinil ou cd, ainda hoje compro,
O download faz com que se possa conhecer a priori o album a comprar caso se goste, quase como escolher o trigo no meio do joio.