quinta-feira, 4 de maio de 2017

DITO ISTO

Dito isto, convém avançar
sem cautela pelos veios
da sorte madrasta
E sem tempo de espera
desunhar rançosas
paredes de mágoa

Dentro de cada um
chilreiam grilos anónimos
com batutas de osso
para cães domésticos
Soltemos os cães e os grilos
que nos trazem reclusos
em estreitas jaulas de plástico

Dêmos de beber aos animais
nossas mágoas vertidas
em hora de parto induzido
Havemos de parir
vagarosas noites de bonança
manhãs pacíficas como sombras
E de nada nos envergonharemos

então reduzidos ao que somos


(inédito)

1 comentário:

Anónimo disse...

O senhor ainda não percebeu como é banal a sua poesia.