domingo, 7 de maio de 2017

MÃES

Tive sorte com as mães, a mãe de sangue, as mães irmãs, a mãe mulher, a mãe sogra, mas, sobretudo, contenta-me que as minhas filhas tenham sorte com a mãe delas. A cena das mães é lixada, ser mãe é lixado. Pressinto que a minha mãe nunca me tenha entendido, mas ninguém como ela me compreende. É uma coisa que não se explica. Acontece-me estar semanas sem falar com a minha mãe, meses sem nos vermos. Mas há sempre qualquer coisa a ligar-nos, o fio imaterial da extrema cumplicidade. A cena das mães é lixada. Nunca escrevi um poema às mães, não conseguiria. O Herberto antecipou-se. 

Sem comentários: