domingo, 11 de junho de 2017

FEIRA DO LIVRO

Deitei-me na relva assim que cheguei, cumprimentei as sombras e deixei que a brisa me autografasse o rosto. 

Acendi um cigarro, observei a Francisca brincar com folhas secas como as dos melhores livros. 

Levantei-me e fui buscar uma cerveja.

Bebi-a enquanto lia nos teus olhos o precipício de uma nostalgia futura: jamais voltaremos aqui. 

Sem comentários: