terça-feira, 7 de agosto de 2018

7 DE AGOSTO DE 2018

  • Vida não programável, improviso em monte alentejano, noite tórrida... Pulgas, mosquitos, melgas, moscas, gafanhotos, vespas, formigas, sardaniscas, abelhas, grilos, cigarras, ah, como é belo o campo. Paisagem com inundação. Sombras de sombras. A ordem do dia. Terra de neve. Escola de náufragos. A rapariga sem carne. E o homem revoltado a banhos com as confissões de uma máscara a meio. Leituras até ver. O quinta do breijinho gelado, a ceviche, a lua à espreita entre pinheiros mansos. Digo girassol, gema chocada pela terra em caule esguio na direcção de Rà. Postal para amigos. Volto já. 

Sem comentários: