quarta-feira, 29 de setembro de 2010

A LEVAR NO PACOTE

Camarada Van Zeller, o pacote foi anunciado. Olho para aquilo, leio, releio e não entendo nada. Dir-me-ão que não é hora para lavar roupa suja, mas enquanto não a lavamos ela vai sendo acumulada deixando um cheiro insuportável pela casa toda. Afinal quem nos trouxe aqui? Em que é que a incompetência dessa gente que nos trouxe ao ponto em que estamos será devidamente penalizada? Como é que essa gente que durante anos não fez outra coisa senão mamar do Estado vai agora contribuir para a resolução dos problemas do país? Temos um Presidente da República que foi Primeiro-ministro durante 10 anos. Os institutos públicos que ele e os seus ministros criaram eram necessários? Os subsídios que distribuiu foram bem distribuídos? As medidas que implementou em alguma coisa nos beneficiaram? São dúvidas para as quais não tenho resposta, camarada. Mas de uma coisa eu sei: a bandeira do trabalho aos domingos, que socialistas como o Eduardo Pitta tanto gostam de hastear, toca-me particularmente. Há dois anos que trabalho aos domingos. Ganhei mais alguma coisa por isso? Zero. Dizem-me que nos países civilizados está tudo aberto aos domingos. Se não for bem assim, não interessa. Aqueles que não abrem aos domingos não serão assim tão civilizados. Ser-se civilizado, ser-se in, moderno, actual, é abrir aos domingos. Durante muito tempo, ninguém precisou dos domingos senão para passear o tédio. Agora exigimos a alegria do consumismo 24 horas por dia, 7 dias por semana. Fazer compras aos domingos é bom, trabalhar nem por isso. No meu caso, passei a ter 1 fim-de-semana por mês para distribuir pela família e amigos. Isto quer dizer que passei a ter 1 fim-de-semana por mês para confraternizar com os que me são mais queridos. Não recebo nem mais um tostão por isso, mas estou a contribuir para a felicidade de socialistas como o Eduardo Pitta. E isso deixa-me satisfeito. De resto, toda a minha família e amigos sentem-se muito orgulhosos pelo meu esforço. Além do que não me posso queixar, ainda tenho 1 fim-de-semana. Noutros casos, nem isso. Basta pensar num casal em que ambos trabalhem aos domingos e a conciliação das folgas seja impossível. Trabalhar aos domingos é muito bom, sobretudo para quem não trabalha aos domingos.

5 comentários:

Luis Eme disse...

também não gostei do que li, ainda para mais vindo de uma pessoa que não conheço mas que me parece honesta intelectualmente.

vi a mesma reportagem na televisão e achei que os argumentos das mulheres entrevistadas faziam toda a diferença, pois nem aos domingos podiam estar com os filhos.

é que ainda há pessoas que têm uma família tradicional e não apenas o gato ou o cão.

João Pedro Ferrão disse...

Em França está tudo fechado aos Domingos. Bárbaros, já se sabe. :)

hmbf disse...

Esses franceses são uma cambada de "chovinistas". ;-)

kaku disse...

:)

hmbf disse...

Eis um sorriso que nos ilumina os dias. :-)