quinta-feira, 30 de setembro de 2010

AMOR PATERNAL



o meu pai pegou-me ao colo
e apertou contra os seus
os meus parcos ossos tenros
(um acto de amor puro)

vinte e cinco anos mais tarde
descubro por radiografias
uma ligeira escoliose nas costas
e não pareço importar-me

é que a um pai perdoa-se tudo
e esta escoliose minha
não mais é que uma gota
no oceano de um amor paternal



João Miguel Henriques, in O Sopro da Tartaruga, Edição de Autor, p. 26. Adenda: sobre o livro de onde este poema foi respigado escrevi eu aqui. O autor escreve acolá.

2 comentários:

nils disse...

Aí está o João. E é uma pessoa admirável. Fui eu que apresentei a sua plaquete Entulho na Casa Fernando Pessoa. É um amigo dos grandes.

hmbf disse...

Aí está. :-)