quarta-feira, 27 de abril de 2011

CHAMBER MUSIC



XXVIII

Amável senhora, não cante
Canções tristes sobre o fim do amor;
Afaste a tristeza e cante
O quanto basta o amor que passa.

Cante o longo e profundo sono
Dos falecidos amantes, e como
Na sepultura todo o amor repousará:
Por ora o amor está cansado.


James Joyce, in Poems and Shorter Writings, Faber and Faber, 2001, p. 40.
Versão de HMBF.

6 comentários:

fallorca disse...

Ah, mas isto é muito apetecivelmente roubável

Noa disse...

Engraçado. Descobri este blogue por acaso e agora não consigo parar de lê-lo.
Já devia estar a dormir...
Que desespero bom!

np disse...

Também vou roubar.

hmbf disse...

Fallorca, já reparei que andam por aí uns larápios sem vergonha.

Noa, obrigado pela cumplicidade insone.

NP, força nisso. :-)

Sandra R. disse...

estou tão cansada... tenho o amor tão cansado... preciso de dormir. é urgente. e este poema é belo.

Anónimo disse...

O Joyve papou a Beach?