quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

UM POEMA DE JOHN MONTAGUE

Nuala Ni Dhomhnaill, Jennifer Johnston, Derek Mahon, Sebastian Barry, John Montague e Tom Kilroy, em Paris, 1989.
 
 
11 RUE DAGUERRE
 
Por vezes, à noite, quando não consigo dormir
Vou à porta do atelier
Cheirar a terra do jardim.
 
Exala suavemente,
Especialmente agora, com o aproximar da Primavera,
Quando gavinhas verdes se entrelaçam
 
Por entre o húmus, desesperadamente frágeis
Na sua passagem pela
Escuridão, obstinadas parcelas de terra.
 
Há luzes acesas nos blocos de prédios
E no apartamento defronte –
Todos os quatro pisos – silêncio.
 
Naquele sossego – suave mas luminosamente exacto,
Uma luz escolhida – reparo que
As pontas da cerejeira recentemente enxertada
 
São de um sólido e lacado preto.
 
 
Versão de HMBF.


Sem comentários: