domingo, 3 de julho de 2011

MINISTÉRIO DA BLOGARIA

Googlei o nome de Francisco José Viegas e apareceu-me isto: «Segundo o jornal "Expresso", Francisco José Viegas deve cerca de 42 mil euros às Finanças. São Bento desvaloriza o caso.» Em que consiste desvalorizar o caso? Por muito menos se pediram cabeças no passado. Também recordo que há tempos, em resposta a uma suspeita sobre a ida de Viegas para um governo PSD, o próprio respondeu: «Quanto a eu ser falado para ir seja lá para o que for (é uma bela maneira de algumas pessoas tentarem inutilizar-me), não vou — ponto. Garantido.» O garantido vale o que vale (na boca do novo Secretário da Cultura, "pelo visto", não vale grande coisa) e as dívidas de Francisco José Viegas não valem muito… para São Bento. Noto igualmente uma certa complacência para com estes factos em weblogs de dente arreganhado ao actual Governo. Porque será? Este caso e o já praticamente esquecido caso Bairrão são bons sinais do que nos espera nos próximos anos. Bernardo Bairrão, administrador delegado da Media Capital, grupo detentor da “televisão que Sócrates pretendia comprar”, foi convidado para Secretário de Estado. Demitiu-se das suas funções, arrumou os caixotes e partiu. No entanto, várias vozes se levantaram contra o convite. José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes, assim como Nuno Vasconcellos, da Ongoing, terão pressionado o Governo a desconvidar Bairrão para a festa. E Bairrão já não foi. Mas foi o Gonçalves do Portugal anão, depois de ter comparado Passos Coelho a uma alforreca e de ter chamado pequeno Torquemada de Tomar ao homem de quem é agora adjunto. Gonçalves escrevia, antes de ir para o Governo: «Passos provoca enxaqueca porque aquilo é Sócrates sem os anos de palco que Sócrates leva». Como irá agora escrever Gonçalves? Isto não é gente para ser levada ou deixar de se levar a sério. É gente que, pura e simplesmente, não merece respeito. Ponto final.

10 comentários:

jpt disse...

quem é "o Gonçalves do Portugal anão"

jaa disse...

hmbf: «desvaloriza» é opinião do Expresso. O gabinete de Viegas fez sair uma nota explicando a situação. Até ver, parece-me ser apenas um caso em que um cidadão discorda do método de cálculo usado pelas Finanças, não uma fuga aos impostos. Quanto à complacência, Sócrates teve-a durante mais de dois anos. Quer apostar que este governo não vai conseguir sequer seis meses?

jpt disse...

Acho que a resposta não é à minha pergunta ... é genuína, não percebi de quem se trata o Gonçalves

Quanto À manutenção do governo desde que não seja por mil anos ...

Daniel Ferreira disse...

Nunca gostei do homem, do Viegas, e ele acaba por me dar boas razões.

Quanto a seu 'diz que disse', parece-me cada vez mais a grande afirmação para a iniciação dentro do meio onde está agora inserido.

Aliás, gajo que chama Isaltino a uma personagem sua, tem de ser, no mínimo, suspeito.

E o pior no meio disto tudo, é eu achar que ele até acredita que pode fazer alguma coisa. Santa ignorância a minha ou a dele.

Um abraço!

hmbf disse...

JAA, Sócrates mereceu complacência? Bolas, o homem ainda não era PM e já andava na cama com o Diogo Infante. Nunca votei nele, pelo que me sinto ainda mais à vontade para reconhecer que não tenho memória de nenhum político português que tenha sido alvo de tanto ataque ao homem. Até uma central de comunicação nos weblogs ele tinha. Lembra-se. Pois bem, vê-se no que deu a central de comunicação. Este governo já recrutou em, pelo menos, 4 blogs:

Cachimbo de Magritte
Blasfémias
Portugal dos Pequeninos
A Origem das Espécies

jpt disse...

Não sabia que o João Gonçalves foi para o governo, daí não ter apanhado a óbvio do Portugal Anão. Foi mesmo ou é sarcasmo seu?

hmbf disse...

Foi mesmo: http://corporacoes.blogspot.com/2011/07/e-no-fim-e-o-cc-que-as-paga-sempre.html

jpt disse...

Afinal? Que delícia ... (Só mostra a extrema democraticidade das gentes no poder actualmente ...)
[mais vale tê-los por perto do que lá longe, à solta nas teclas ...]

carol disse...

Um rega-bofe! Mas é o governo da verdade e da transparência. E do Coelhinho da Páscoa também.

jaa disse...

O caso Diogo Infante foi uma nojice pré-eleitoral. Depois de eleito, Sócrates teve um longuíssimo período de graça que só terminou com a questão da licenciatura. A partir daí, sim, foi bastante atacado. (Mas admito que esta opinião é mais baseada no que ocorria nos meios de comunicação tradicional do que nos blogues, uma vez que não era leitor assíduo de blogues em 2005, 2006 e 2007.)

Recrutar nos blogues não me parece mais estranho do que recrutar em muitos outros sítios, até porque quase toda a gente que escreve em blogues é outras coisas. Não me lembro se Sócrates recrutou membros ou assessores do governo em blogues mas foi buscar deputados ao jugular, por exemplo. Já apontar contradições nas posições dos referidos bloggers parece-me perfeitamente legítimo e foi por isso que não toquei no assunto no meu primeiro comentário.