domingo, 17 de fevereiro de 2013

DEBAIXO DO PENHASCO



 

Vives debaixo de um penhasco,
sabendo que assim é.
Mas semeias o teu acre
e depressa constróis telhados
e deixas que as crianças brinquem
e deitas-te à noite
como se ele não estivesse lá.

 
Talvez
numa noite de Verão
enquanto te apoiares na foice
os teus olhos passem
pelo penhasco
onde dizem
estar a fenda,
e talvez uma noite destas
fiques acordado
à espera de ouvir
uma pedra tombar.

 
E quando a lúbrica rocha vier
não será uma surpresa.
Mas tu irás limpar e compor
o canteiro verde
debaixo do penhasco
− assim a vida o permita.

 

Olav H. Hauge, in Beneath the Crag (1951)

Versão de HMBF

Sem comentários: