domingo, 24 de fevereiro de 2013

SOB AS ESTRELAS



 

O que me terá levado a sair debaixo
deste carregado céu da manhã?
Estas rigorosas estrelas azuis,
que pretenderão elas?

As colinas nada prometem – apenas
dão forma, deixando que o fiorde encha
e os rios se atropelem. As colinas
nada sentem debaixo da neve.

Mas as encostas arvoradas prostram-se,
mostrando a sua carência sob as estrelas.
É a minha própria dor, a minha ferida
ali estendida, preta como ferro e sangrando
e prometendo voltar a ser verde e cantar.
 

Olav H. Hauge, in On the Eagle’s Tussock (1961)
Versão de HMBF

2 comentários:

MJLF disse...

"É a minha própria dor, a minha ferida
ali estendida, preta como ferro e sangrando
e prometendo voltar a ser verde e cantar."

Xi pá isto é LINDO!

Anónimo disse...

Descobri este poeta aqui no blogue. O que só tenho a agradecer. Será que ninguém traduz e publica este desconhecido? Ah! já sei, as massas preferem livros que falem do céu...