sábado, 16 de março de 2013

ESCRITA CRIATIVA

 
Camarada Van Zeller, respeitando e fazendo fé dos mais modernos estímulos ao empreendedorismo, resolvi pensar, criar, estruturar, promover e propor o meu próprio Curso de Escrita Criativa. Esqueça o Chagas e o Sena e demais formadores congéneres. O meu curso é mais económico, mais rápido e muito mais eficaz. É um curso de escrita criativa instantâneo. Serve-se no café da manhã, nuns pacotinhos semelhantes aos do açúcar. Lá dentro, vem um pó mágico com sabor a Mocambo. Quem não gostar do sabor, pode misturar com açúcar. Não prejudicará a aprendizagem, embora a escrita possa vir a resultar ligeiramente light. Como saberá o camarada, nos tempos que correm a agilização da escrita não será defeito. Antes pelo contrário, resulta num emagrecimento da leitura. Esta dieta torna a leitura mais leve, sedutora, saudável. Tudo isto muito limpo, digesto e, como disse, económico. Cada pacotinho deste Curso de Escrita Criativa custará 1€, incluindo portes de envio. Poderão os interessados encomendar desde já, deixando endereço postal onde pretendam receber este meu curso. Atenção: os pacotes são invisíveis. O formando recebê-los-á julgando que os não recebeu, abri-los-á supondo que os não abriu, ingeri-los-á crendo que os não ingeriu. Mas quando começar a escrever após a experiência, concluirá que toda a sua desconfiança era infundamentada. Nesse momento o formando será um escritor de corpo e alma, sentirá até um ligeiro formigueiro subindo-lhe pela coluna vertebral até à zona do cachaço. É o chamado formigueiro do escritor. Hemingway sentiu-o, Camilo igualmente, Mishima não menos. Esta é uma nova técnica, inspirada na previdência do Ministro Vítor Gaspar. Como o camarada terá notado, apesar do aparente desastre que nos vem abalroando, nós estamos no bom caminho. Podemos não ver o caminho, mas ele está lá. E nós nele, caminhando no rumo certo como as mais laboriosas e reverentes formiguinhas. Assim este meu Curso de Escrita Criativa, que estou certo poderá agradar a todos quantos amem a nobre arte da escrita... criativa.

1 comentário:

José Eduardo Lopes disse...

:) Isto lembra-me um poema do Bukowsky, tra(du)zido pelo Manuel Domingos:

http://meianoitetododia.blogspot.pt/2012/05/versoes-charles-bukowski.html