terça-feira, 7 de março de 2017

ELAS (em construção)


Recupero este post, iniciado vai para dois anos. Continuará em construção. Amanhã, mais uma voz feminina, do início do século XX, se lhe juntará. Os nomes estão a vermelho para sinalizarem links. É só clicar. Não tenho com a poesia uma relação de género, este inventário é simplesmente um tique obsessivo. Espero que desfrutem das palavras e saibam aproveitá-las para a vida, isto é, respeitando-as diariamente como ao ar que se respira. O resto não me convém, é-me, como dizê-lo, cada vez mais indiferente. 


Fernanda de Castro (1900-1994), Maria da Graça Freire (1911-1993), Merícia de Lemos (1913-1996?), Leonor de Almeida (1915- ?), Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004), Natália Correia (1923-1993), Maria Amélia Neto (1928), Ana Hatherly (1929-2015), Isabel Meyrelles (1929), Eduarda Chiote (1930), Fiama Hasse Pais Brandão (1938-2007), Maria Teresa Horta (1937), Luiza Neto Jorge (1939-1989), Fátima Maldonado (1941), Inês Lourenço (1942), Hélia Correia (1949), R. Lino (1952), Ana Luísa Amaral (1956), Rosa Maria Martelo (1957), Isabel de Sá (1951), Adília Lopes (1960), Margarida Vale de Gato (1973), Ana Horta (1975), Catarina Santiago Costa (1975), Sandra Andrade (1976), Raquel Nobre Guerra (1979), Rute Mota (1980),  Cláudia R. Sampaio (1981), Matilde Campilho (1982), Catarina Nunes de Almeida (1982), Ana Salomé (1982), Elisabete Marques (1982), Beatriz Hierro Lopes (1985), Tatiana Faia (1986)...

2 comentários:

R. Vieira disse...

Lindo! Adorei a ideia!



Estarei de volta lá no Diários Desafios se quiser me visitar, será um prazer.

ASM disse...

Aqui ficam mais algumas sugestões: Bénédicte Houart, Ana Paula Inácio, Inês Dias, Renata Correia Botelho, Rosa Maria Martelo, Andreia C. Faria, Maria Andersen, Inês Fonseca Santos, Rosa Oliveira, Rosa Alice Branco, Rosalina Marshall, Susana Araújo, Filipa Leal, Golgona Anghel... Com excepção de Rosa Alice Branco, se não estou em erro, são tudo poetas (ou poetisas) que publicaram o primeiro livro neste século. Se formos pesquisar para trás encontramos algumas poetas esquecidas desde o período do modernismo. Mas no século XX há poucas poetas no cânone: Sophia, Florbela, Fiama, Luiza Neto Jorge, pouco mais. Mas a cada um o seu gosto.